Curta a nossa página
Teresina
+29°C
12/04 23h42 2017 Você está aqui: Home / Curiosidade MeioNorte Imprimir postagem

Sem dinheiro para funeral, homem esconde cadáver da mãe por um mês

Ele alegou que ela queria ser cremada, mas ele não tinha dinheiro

Um português escondeu o cadáver de sua mãe dentro de casa durante um mês na cidade de Almargem de Bispo, Sintra.  O corpo de Maria João, de 73 anos, foi encontrado nessa segunda-feira (10) na residência de Pedro Cabrita, de 44 anos. Além de guardar o corpo, ele também não havia contado a ninguém sobre a morte da senhora.

Em entrevista ao “Diario de Notícias” de Portugal, Cabrita disse que sua ação foi uma “criancice”, e que só escondeu o cadáver  de sua mãe porque ela queria ser cremada e ele não tinha condição financeira de realizar esse desejo.

“A minha mãe queria ser cremada e a única maneira era eu esperar para não a sepultarem, porque eu não tenho posse, não tenho nada”, contou Cabrita. “Ela não deixou nada escrito, foi comigo que falou. Sem saber o que fazer, mantive as coisas escondidas por um tempo”.

Como o homem está desempregado e não tem fonte de renda, logo surgiram especulações de que teria poderia ter matado a própria mãe para receber a aposentadoria da senhora, mas ele nega que os boatos sejam verdadeiros.

“Quem faria algo assim por pouco mais de 400 euros (cerca de R$ 1,3 mil)? Aliás, depois de pagar os impostos são uns 200 euros (quase R$ 700). Eu não quis receber bolsa de auxílio do governo porque queria trabalhar e ter o meu dinheiro. Estava cansado de depender da minha mãe”, falou Cabrita em sua defesa.

De acordo com um vizinho, só descobriram o corpo de Maria João depois que Cabrita desmaiou na porta de sua casa. Uma moça foi ajudá-lo e perguntou por sua mãe. Ele a deixou entrar na casa porque se não deixasse, “aí, sim, teria algo a esconder”.  Foi então que a mulher encontrou o corpo da senhora.

A vizinhança afirma que Cabrita sofre de problemas psiquiátricos, fato que ele confirma. “Tentei me suicidar duas vezes”. Entretanto, negou boatos de que estava sob efeito de medicamentos e garantiu que nunca foi dependente de substâncias tóxicas.

O homem se mostra despreocupado quanto à investigação policial e a penalidade que o pode ser aplicada. “Se tiver de ser maluco, sou. Prendam-me, façam o que quiserem. Eu disse às autoridades: ‘perguntem que eu respondo, é mais simples’. Não tenho nada a esconder agora. Já escondi um corpo”.

Ele ainda disse que a única coisa que tem em mente agora é realizar o desejo de sua mãe e cremar o cadáver. Pedro tem medo que seu pedido não seja seguido. “Só estou preocupado com o que podem fazer ao corpo da minha mãe”, disse.


Comentários

Atenção! Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião desta página, se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
lista mais

Artigos relacionados