Curta a nossa página
Teresina
+29°C
29/05 11h53 2017 Você está aqui: Home / Saúde Fonte: cidadeverde Imprimir postagem

Médico propõe plantão psicológico e ações em escola para conter suicídio

PF monitora os muçulmanos

O médico psiquiátrico e diretor geral do Areolino de Abreu, Ralph Trajano, defendeu a criação de plantão psicológico e a obrigatoriedade da presença de psicólogos em escolas públicas e privadas como medidas de prevenção ao suicídio em Teresina. 

A capital piauiense registra altos índices de morte e os profissionais de saúde buscam alternativas para conter os casos.

Para serem instituídos os plantões psicológicos de 24h nas clínicas e hospitais da cidade é necessária a aprovação de uma lei municipal. 

“Se um adolescente tiver hoje mal e se a família descobre o problema durante uma crise com ele debaixo da cama pronto pra se matar, vão levar ele pra onde? aonde você vai procurar ajuda para uma pessoa com tentativa de suicídio, inicialmente? o mais fácil é procurar no hospital, mas não tem psicólogo no hospital para lhe ouvir”, advertiu o médico que ex-presidente da Associação  Psiquiátrica do Piauí. 

Semana passada, o médico participou de audiência pública na Câmara Municipal que tratou sobre suicídio e jogo da baleia azul. Ralph Trajano revelou que 70% dos suicídios envolvem bebidas alcoólicas. 

Psicólogos na escola

Outra proposta defendida pelo médico é a presença de psicólogos nas escolas. 

“É importante detectar o problema precocemente na faixa inicial do suicídio. É fundamental ter esse apoio psicológico para as pessoas que estão apresentando problemas de comportamento principalmente na escola”.

Segundo o médico, a Organização Mundial de Saúde (OMS) revelou que 90% dos casos de suicídios envolvem transtorno mental.

“Areolino de Abreu trata dos transtornos mentais graves, os alienantes, os esquizofrênicos, os bipolares. As pessoas que precisam de tratamento de exceção e têm que internarem para tratar de uma crise psicótica. Uma pessoa depressiva não entra em psicose, é uma pessoa que está trabalhando do teu lado e que ela não vai querer está junto com os esquizofrênicos. Ela não vai se sentir bem e nos Caps não está tendo essa inclusão por isso. Tem gente que não tem perfil de Caps, que não quer fazer as atividades com pessoas que não tem nada haver com os problemas deles. Essas pessoas precisam de ambulatórios comuns. Não adianta ter um Provida no Centro da cidade se eu moro lá no Saci, se eu moro no Porto Alegre. Eu preciso de um ambulatório perto de mim”.

Sobre o sistema de atenção a saúde mental, Ralph Trajano adverte: “A saúde mental ainda está engatinhando. Tudo ainda está concentrado no hospital e nos Caps, mas isso é só uma parte do problema”.

Veja onde pode conseguir ajuda:

Ambulatório  PROVIDA funciona no Centro Integrado Lineu Araújo
Horário:  8h às 12h e 14h às 18h
Contato: (86) 3215-4344 / 86 3215-9131.
Endereço: Rua Magalhães Filho, nº 152, Centro. Teresina-PI

CVV - Centro de Valorização da Vida
 (86) 3222-0000

Centro Débora Mesquita
Endereço: R. Pedro de Vasconcelos, 2048 - São João, Teresina - PI, 64045-375
Telefone: (86) 3233-8586


Comentários

Atenção! Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião desta página, se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.